Hot Topics:

Home Nutrição Cortar carboidrato à noite ajuda a emagrecer?

Cortar carboidrato à noite ajuda a emagrecer?

Nutricionista esclarece que, na verdade, o corpo perde apenas líquidos, dando a falsa impressão de emagrecimento
por Redação Sport Life, em 17/06/2017

Cortar carboidrato à noite ajuda a emagrecer, principalmente depois das 18h. Certo? Errado. De acordo com a nutricionista Elaine de Pádua, esse tipo de dieta não passa de um mito, já que a retirada de carboidrato à noite não possui embasamento científico necessário para ser considerado verdadeiro. “Quando há a eliminação do carboidrato, os estoques de glicogênio se esvaziam. A glicose puxa água e, sem ela, o corpo perde líquidos e a pessoa acha que perdeu peso, mas na verdade ela liberou somente água”, diz a especialista.

Cortar carboidrato à noite ajuda a emagrecer? Nutricionista esclarece que não. Na foto, cestas com pães e bolos.

Foto: Reprodução/Pixabay

Elaine ressalta que um estudo feito com policiais obesos em Israel analisou o impacto do horário de consumo de carboidratos em uma dieta para emagrecimento. Um grupo consumiu grande parte dos carboidratos da dieta à noite, e o outro tinha uma dieta equilibrada de dia. Assim, a diferença de emagrecimento entre os dois grupos testados foi quase mínima, indicação que reforça a ideia de que o período da ingestão de carboidratos não influencia na rapidez da dieta.

Outro alerta para quem pensa que cortar carboidrato à noite ajuda a emagrecer é relativo ao treino, principalmente para os atletas. A nutricionista esclarece que não é recomendado retirar os carboidratos das refeições pré-treinos. “Os atletas ficam sem energia para treinar. Além disso, esse tipo de restrição pode gerar compulsão no dia seguinte”, pontua a profissional.

Alternativas

A nutricionista explica que existem diversas dietas que restringem o consumo de carboidratos, mas que não são, necessariamente, baseadas em não comer carboidratos à noite. Uma das mais recentes é a cetogênica, exigindo uma de baixa ingestão de calorias (hipocalórica). “Lipídios e proteínas estão liberados e não há restrição quanto ao período de ingestão”, comenta Elaine.

Exemplos de alimentos presentes nessa dieta são: carnes vermelhas, ovos e manteiga.

LEIA TAMBÉM

* Referência do estudo: Greater Weight Loss and Hormonal Changes After 6 Months Diet With Carbohydrates Eaten Mostly at Dinner

Texto e edição: Érika Alfaro | Consultoria: Elaine de Pádua, nutricionista pós-graduada em nutrição funcional, nutrição nas doenças crônico-degenerativas, especialista em adolescência para equipe multidisciplinar e autora do livro O que tem no prato do seu filho?, Editora Alles Trade